Autarquia canadiana da ‘Capital Mundial do Urso Polar' elogia portugueses

Sérgio Mourato - Lusa 24OUT2016

Winnipeg, Canadá, 24 out (Lusa) - A vereadora da Câmara de Churchill Heather Botelho considera que a comunidade portuguesa "é um exemplo de sucesso" naquela remota localidade no centro do Canadá.

"São muito sucedidos e trabalhadores. Aqui há uma comunidade única. Existem cerca de 15 a 20 portugueses, que são bem sucedidos", explicou à Lusa Heather Botelho, 35 anos, filha de um emigrante proveniente de Santa Maria (Açores).

A vila de Churchill, autodenominada por ‘Capital Mundial do Urso Polar', tem cerca de 800 habitantes, onde a comunidade portuguesa é um exemplo de referência, explicou a autarca de 35 anos.

A lusodescendente vai já no seu terceiro mandato enquanto vereadora da autarquia, cargo que desempenha desde os seus 25 anos, realçou que o sucesso dos portugueses naquela região próxima da Baía de Hudson, é visível sobretudo nos setores da restauração e da hotelaria.

"O dono de um restaurante muito popular da vila é português. O maior hotel e restaurante ‘lounge’ de Churchill também foi propriedade de um português. Isto prova o seu sucesso", continuou.

O pai, um emigrante proveniente dos Açores, chegou ao Canadá em 1974, casou-se com uma canadiana residente na vila, estabelecendo-se em Churchill como carpinteiro.

Na década de 1990 abriu um restaurante, uma sala de espetáculos e uma loja de vídeos.

"Há 15 anos é funcionário municipal, tendo uma participação importante no desenvolvimento do Plano de Gestão de Resíduos da autarquia", o que deixa a lusodescendente muito orgulhosa pela sua integração na sociedade canadiana.

Heather Botelho não fala português, e não conhece a terra de origem do seu pai mas quando fizer os 40 anos, "que já não falta muito", combinou com as irmãs visitar os Açores.

A vila de Churchill é procurada anualmente por milhares de turistas, particularmente durante três períodos do ano.
"Entre outubro e novembro visitam-nos para observarem os ursos polares. Nos meses de verão, entre julho a agosto, é a época de observação das baleias-brancas. Nos meses de janeiro e fevereiro recebemos visitas devido à aurora boreal, (o fenómeno das) luzes do norte", afirmou.

Localizada no nordeste da província do Manitoba nas margens da Baía de Hudson, a grande quantidade de ursos polares existentes naquela região tem beneficiado a economia local, nomeadamente o setor do turismo.

"Há muitos ursos polares que visitam a área de Churchill, quando efetuam a sua rota migratória dada a nossa proximidade com a costa da Baía de Hudson. Os ursos (polares) aguardam que a água congele para o período de caça às focas e as fêmeas hibernam até terem as crias, que surgem na primavera", sublinhou a autarca.

Perante este fluxo de ursos polares aquela região faz de Churchill a "Capital Mundial do Urso Polar", que podem ser mais visíveis durante os meses de outubro e novembro numa época em que as temperaturas diminuem bastante com a Baía de Hudson a congelar no final de novembro.

O maior mamífero carnívoro terrestre do mundo, com um peso que varia entre os 300 aos 800 quilos, só pode observar-se com uma maior visibilidade entre dezembro a fevereiro.

Os ursos “gostam de se meter em confusão. Andam à procura de alimentos até poderem caçar durante a época de inverno. Há alguns anos uma sobrinha de um empresário português proprietário de um restaurante quase morreu", revelou.

No inverno, durante os meses de janeiro e fevereiro as temperaturas em Churchill variam entre os 30 a 40 graus negativos.


O Site da Comunidade Portuguesa de Manitoba
www.portugueseinmanitoba.com