TRADICIONAIS DANÇAS DE CARNAVAL NO PALCO DA CASA DOS AÇORES DE WINNIPEG.

Reportagem: Paulo Jorge Cabral (Texto) Fátima Sousa e Tony Soares (Fotografias) – 2020.02.22

Não fugindo à tradição de há muitos anos, a Casa dos Açores de Winnipeg, promoveu no passado dia 22 de fevereiro o tradicional Carnaval, com “casa” cheia” e muitas expetativas como sempre sobre os assuntos em “discussão” que serão apresentados.

Com as boas-vindas de João Paulo Melo, Presidente da Direção da Casa dos Açores, e apresentação do programa a cargo de Anabela Ávila e Fátima Andrade, a noite de carnaval começou com a atuação da tradicional dança carnavalesca dos “Cadarços”, interpretada por um grupo de jovens desta organização.

o Carnaval é celebrado com danças, bailinhos e comédias, espetáculos de teatro popular, com caráter cómico ou trágico, com textos em rima, muitas vezes com crítica social, intercalados com coreografias e música.

E foi neste contexto que o primeiro bailinho se apresentou em palco com o assunto escrito por José Santos intitulado “Miss Casa dos Açores”, sob a orientação de Maria Carreira e Fátima Andrade, tendo como “puxadoras” Fátima Andrade e Roberto Santo, “ratão”, Luís Bettencourt e o elenco de dançarinos e personagens do “enredo” compostos por Lais Costa, Nélia Soares, Leonor Coquete, Angie Roque, Stephanie Aguiar, Sónia Pacheco, Rosa Borges, João Paulo Melo, Laura Amaral, Lourdes Borges, Eduarda Aguiar, Odília Pereira Hill, António Luz e Celina Almeida Shlafman.
Durante o intervalo que se segui foi oferecido a todos os presentes a tradicional “malassada”, doce confecionado e servido nos Açores pela altura do carnaval.

Após um pequeno intervalo, atuou o bailinho “Olha que mesmo só visto” que trouxe ao palco esta hilariante comédia, que com a função de “puxadoras” apresentou o duo mãe e filha, Maria Dias Carreira e Melissa Carreira, a conduziram a “dança”, composta pelos dançarinos Mikaela Shlafman, Tatiana Hill, Katia Hill, Roberto Santo, Anália Sousa, Alexandre Roque, Celina Almeida Shlafman, António Luz, Stephanie Aguiar, Filipe Silveira, Nataya Dias e António Carreira.

Sob a orientação de Maria Dias Carreira, a “peça” contou no “papel” de Ermelinda – Anabela Ávila, José – David Ávila, Manuel – António Costa, Padre Luís Bettencourt, Nosso Senhor – Manuel Santos, Bob Vicks – Samuel Carreira.

A orquestra para ambos os bailinhos foi composta por Nicholas de Melo, José Andrade, José Cabral, António Costa, Nuno Costa, Henrique Braga e João Correia.

Na assistência técnica, Lucille Rodrigues Braga, no “ponto”, Paulo Calisto e Hermano Silva no som.
A indumentária este a cargo das costureira Geraldina Sousa e Altina Sousa.

O evento foi filmado por uma equipa da LusoCanTV liderada pelo seu Diretor Paulo Bergantim.
No final do evento, João Paulo Melo, Presidente da Direção, agradeceu aos convidados e a todos os que se encontravam presentes, e especialmente a todos os que tiveram envolvidos na produção e realização do Carnaval 2020.

O serão terminou com o sorteio “50/550”.
WINNIPEG WEATHER / METREOLOGIA